sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

O MEU POEMA DE NATAL


Imagem tirada de net



O MEU POEMA DE NATAL

(Dedicado ao poeta David Mourão-Ferreira e seu poema “Ladainha dos Póstumos Natais”)
“Há de vir um Natal e será o primeiro\em que se veja à mesa o meu lugar vazio”

Não é um poema com mote e glosa
Mas harmonização de sentimentos
Onde cada palavra é cautelosa
E nossas emoções recolhimentos

 Teu Natal ausente; quadra angulosa
Lugar vazio; sem quaisquer acalentos
É nossa  data comum tremulosa
Onde ambos ansiamos novos ventos

Constatamos vestígios do passado
Presente desumano e arriscado
O futuro num estilhaço de bomba

Mesmo assim o nosso olhar compassado
Declinou um Natal tão destroçado
De nossos coração nasceu a pomba

Liliana Josué

9 de dezembro de 2018

MY CHRISTMAS POEM

(Dedicated to the poet David Mourão-Ferreira and his poem "Litany of the Christmas Ponies")
"A Christmas will come and will be the first one to see my empty place at the table"

Not a poem with mote and gloss
But harmonization of feelings
Where every word is cautious
And our emotions gatherings

  Your Christmas Away; angled block
Empty place; without any hints
It's our common shaky date
Where we both yearn for new winds

We have seen traces of the past
Inhumane and risky gift
The Future in a Bomb Shard

Even so, our measured look
Declined a Christmas so shattered
From our heart was born the dove

Liliana Josué
December 9, 2018




Imagem tirada de net

Imagem tirada da net

domingo, 2 de dezembro de 2018

O NOSSO SÍSIFO



 O sonho não se atinge é a procura
Constante, duma prática real
Ou perderia o uso na loucura
Da incansável busca do irreal

O Jó de cada ser de mente pura
Apega-se ao seu Sísifo fatal
Que preferiu mover a rocha dura
A dar como perdido  seu ideal

Não o Sísifo da mitologia
Mas de Camus, aquele que cingia
O peso de respostas  poder dar

Se alguém sentir alguma analogia
Em navegar o absurdo sem vigia
Resigne-se ao  vazio que encontrar.

Liliana Josué

OUR SISIFIC


The dream is not reached, it is the search
Constant, a real practice
Or lose the use in madness
From the unremitting pursuit of the unreal

The Job of every pure-minded being
Cling to his fatal Sisyphus
Who preferred to move the hard rock
To give as lost his ideal

Not the Sisyphus of Mythology
But from Camus, the one who girded
The weight of answers

If anyone feels any analogy
In navigating the absurd without a watchman
Resign yourself to the void you find.

Liliana Josué


Escritor Albert Camus - Argelino - 1913\1960

Imagem do pintor Pedro Lira Rencoret - Chileno - 1845\1912


segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Para lá



Para lá do teu olhar 
Onde a espuma se desfaz
Esboço o meu limite
Liliana Josué


Pintura do espanhol Joaquin Sorolla y Batista - 1863\1923

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e ar livre


Ninguém

Ninguém é mais velho do que eu.

Liliana Josué


(Pintura do norte-americano Edward Hopper - 1882\1967)

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e interiores
Para um grande amigo morto

No incógnito silêncio abandonas o corpo
mas não a essência
sobes o monte mais alto do Universo
do qual só agora tomas consciência
saboreias o merecido descanso num outro coração
doravante magnânimo, imenso…
apertas nos infindos braços
os que almejavam por ti
perplexos da tua entrega
já sem qualquer refrega
e rezas uma oração de ateu
finalmente a paz dorme contigo
amigo, não me enganei, pois não?

Liliana Josué
(Estudo do pintor Renascentista Leonardo da Vinci - Homem Vitruviano (1490) A imagem pode conter: desenho


domingo, 22 de abril de 2018


Três bons exemplos de Natureza Morta


Empregada Doméstica


Maria, moça pequena, pernas roliças
Avança decidida p’lo amplo mercado
Palpa maçãs, tomate, escolhe hortaliças
De semblante muito entendido e concentrado.
Sem mais nem porquê surge-lhe a lembrança clara
Do estúpido quadro na casa dos patrões:
“Que pintura papalva e mesmo assim tão cara…
E a Natureza Morta ali aos trambolhões !”


Um casal feliz


Certo casal mudo, quedo, talvez feliz
Coabita numa casa muito arranjadinha
Ela, à noite vê morangos com anis
Ele, lê jornal encostado à almofadinha.
Ensonados e cada um no seu pijama
Vão p’ro quatro. Ela boceja, ele arrota
E adormecem, para mais nada serve a cama.
Quadro perfeito duma Natureza Morta


Futebol na TV


Entram todos muito apressados no café
O grande desafio já tinha começado
Exaltado alguém berra: - Belo pontapé
Mui demente o apresentador salta desgrenhado.
A casca do tremoço o chão do café criva
A cúmplice cerveja nos copos exorta.
Imagem sórdida de Natureza Viva
Quadro anacrónico de Natureza Morta.

2oo5
Liliana Josué – Antologia do Sonho se fez a palavra


Pintor neerlandês Pieter Claesz - 1597\1661

Pintor espanhol Salvador Dali - 1904\1989



domingo, 7 de janeiro de 2018

VOLÚPIA



(Pintura de Vladimir Kush - russo (Moscovo) - 1965. Movimento "Realismo de metamorfose" ou "Fine Art")



 Na volúpia do desejo  
a rosa vermelha entrega-se ao sol
sumarenta e brava
num apetecível convite à vida

sempre a rosa…
nada original mas a única

o astro envolve-a
no seu vigor laranja
ela dá-se à chama que a anseia  
ele, num raio viril e firme
beija revolto o estigma
morde os estames em fúria
penetra voluptuoso o recetáculo

a contração surge
o espasmo acontece
e o mundo adormece
no repousar que urge.

Liliana Josué (Erato)


 (Pintura de Vladimir Kush - russo (Moscovo) - 1965. Movimento "Realismo de metamorfose" ou "Fine Art")


(Pintura de Vladimir Kush - russo (Moscovo) - 1965. Movimento "Realismo de metamorfose" ou "Fine Art")

(Pintura de Vladimir Kush - russo (Moscovo) - 1965. Movimento "Realismo de metamorfose" ou "Fine Art")


O MEU POEMA DE NATAL

Imagem tirada de net O MEU POEMA DE NATAL (Dedicado ao poeta David Mourão-Ferreira e seu poema “Ladainha dos Póstumos Natais...